Sindicato dos Enfermeiros do RS critica decreto do prefeito do Rio de Janeiro

Estimated read time 3 min read

O Sindicato dos Enfermeiros do Rio Grande do Sul (Sergs) divulgou nota rejeitando a isenção da obrigatoriedade de apresentação do certificado de vacinação contra a Covid-19 para crianças e adolescentes na matrícula ou rematrícula nas escolas de Farroupilha (RS). O prefeito do município da Serra Gaúcha, Fabiano Feltrin (PP), determinou a liberação por meio de decreto publicado na última segunda-feira (5).

Continuar após o comercial

Segundo a publicação, que pode ser consultada no Diário Oficial do Município, “entre as vacinas obrigatórias para crianças ou adolescentes, no ato do registo fica dispensada a obrigatoriedade de apresentação do certificado de vacinação que ateste a aplicação da vacina anti-covid-19”. . ou reingresso, em instituições de ensino privadas ou públicas, localizadas no município de Farroupilha”.

Continuar após o comercial

Feltrin, empresário que também é cover de Elvis Presley em sua “vida artística”, está trabalhando contra as autoridades de saúde do Rio Grande do Sul e do Brasil, diz Sergs. O sindicato relembra as 700 mil mortes por Covid-19 durante a epidemia no país, além de alertar sobre a importância do Programa Nacional de Imunização do Brasil, considerado um dos melhores do mundo. “Desincentivar a vacinação enfraquece a cobertura vacinal em todo o calendário. Isso é crime!”, afirma.

Confira a nota

O Sindicato dos Enfermeiros do RS – SERGS – repudia publicamente o decreto do prefeito Fabiano Feltrin, de Farroupilha/RS, que derroga a obrigatoriedade de apresentação do certificado de vacinação contra a Covid-19 de crianças e adolescentes no ato da matrícula ou reingresso, em escolas públicas ou privadas, emitida na última segunda-feira (5).

Este é um movimento contrário à ciência, contrário aos dados epidemiológicos e contrário à determinação federal e estadual de manter atualizados os programas de vacinação da nossa população. Principalmente para crianças e adolescentes que iniciam o ano letivo em ambientes fechados, nem sempre ventilados, onde permanecerão aglomerados por 4 horas ou mais.

As 700 mil mortes por Covid 19 no país não parecem ter sido suficientes para alertar os dirigentes municipais para a importância da vacina. Nós, trabalhadores da saúde, enfermeiros, que atuamos durante todo o período da pandemia e presenciamos mortes de todas as faixas etárias e de uma legião de pessoas com sequelas da Covid 19 até o momento, somos a favor da ciência, da prevenção de doenças e da saúde. promoção.

As vacinas salvam vidas! Desencorajar a vacinação enfraquece a cobertura vacinal em todo o calendário. Isso é um crime!!


Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Montagem: Marcelo Ferreira


+ There are no comments

Add yours