Polícia investiga desaparecimento de mulheres no Rio Grande do Sul

UMA SEMANA ATRÁS

Um deles, morador do litoral norte, foi visto pela última vez passando por um posto de gasolina; Assista o vídeo

Publicado em: 08/02/2024 11h27
Última atualização: 09/02/2024 12h04

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul investiga o desaparecimento de duas mulheres: uma delas é Daniela Cristina Guterres Moraes, 34, que desapareceu no dia 31 de janeiro em Teutônia, no Vale do Taquari. A segunda é Tayná da Silva Rosa, de 27 anos, que não é vista desde sexta-feira (2), quando passou por um posto de gasolina na Vila São João, em Torres, no Litoral Norte. Câmeras de monitoramento local capturaram Tayná naquela manhã. (Assista ao vídeo abaixo).

O comum entre os casos é que ambos desapareceram apenas com a roupa do corpo e o celular.

Daniela Cristina Guterres Moraes (esquerda) e Tayná da Silva Rosa (direita)

Foto: reprodução

A mãe de Tayná, Andreia Silva, diz que a família passa por momentos de “muita angústia e dor”. Ele pede que “se alguém tiver alguma pista sobre o paradeiro dela ou a viu” entre em contato com a polícia. A jovem tem dois filhos, de 6 e 8 anos. Segundo a mãe, Tayná morava na Vila São João com o companheiro há alguns meses e havia deixado uma mensagem para ele avisando que iria embora após uma discussão. Porém, Andreia afirma que não teve acesso a esta mensagem. O caso foi arquivado na esquadra e, como explica a delegada regional do Litoral Norte, Sabrina Deffente, a polícia “está a acompanhar todo o percurso percorrido pelo desaparecido e a adquirir imagens que possam ajudar a esclarecer o sucedido”. Na manhã desta quinta-feira (8) não havia suspeitos. “A pessoa que desapareceu duas vezes, segundo quem denunciou, saiu de casa, mas voltou pouco tempo depois”, relata o delegado.

Empresária de SC visitou a irmã no RS

A empresária Daniela Cristina Guterres Moraes desapareceu no último dia de janeiro em Teutônia, cidade onde mora sua irmã. O desaparecimento foi registrado pela Polícia Civil de Santa Catarina, mas está sendo investigado pela Polícia do Rio Grande do Sul. Ela mora na cidade catarinense de Capinzal e chegou no dia 31 ao Vale do Taquari, onde estava de férias. A mulher era dona de uma empresa de cuidados com os cílios, que fechou no ano passado. Ela é esteticista e promove aulas particulares na área de beleza. Nas redes sociais, familiares lutam para que a informação seja repassada. A Polícia Civil sublinha que verifica todas as informações que recebe, mas também números de telefone e transações bancárias em busca de pistas.

Gostou deste artigo? Compartilhar!

+ There are no comments

Add yours