Polícia Civil do Rio Grande do Sul prende líder de organização criminosa em São Paulo

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul prendeu um dos líderes da maior organização criminosa do Sul do Brasil em um condomínio de luxo na cidade de São Paulo. A operação chamada Dívida Ativa aconteceu na sexta-feira (19/1).

O indivíduo estava foragido desde 2019 e foi identificado após aproximadamente 9 meses de investigações conduzidas pelo Departamento de Captura (DECAP), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

A investigação da DECAP começou em meados de abril de 2023. Desde então, diversas diligências investigativas foram tomadas com o objetivo de localizar e capturar o fugitivo.

Durante a investigação foi possível confirmar que o suspeito estava escondido em um apartamento de luxo na zona oeste da capital paulista.

Com essas informações, policiais do DECAP deslocaram-se até aquela cidade e iniciaram diversas operações com o objetivo de localizá-lo.

Verificou-se que o fugitivo levava uma vida luxuosa. O valor mensal do apartamento que ele alugou está estimado em R$ 30.000,00 (trinta mil reais). O fugitivo também foi visto dirigindo um carro Range Rover, modelo Velar, no valor aproximado de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais).

A equipe policial também constatou que ele usava nome falso e raramente era visto no condomínio.

Com esses dados em mãos, a equipe monitorou o local por cerca de dois dias, até ter a confirmação visual do foragido, quando o abordaram e prenderam. No momento da prisão o indivíduo estava sozinho e não foram encontrados objetos ilícitos em seu poder.

Posteriormente, vendo o perigo, o preso foi imediatamente escoltado até o estado do Rio Grande do Sul por policiais da Delegacia de Capturas, chegando ao estado sob forte segurança com apoio do CORE do PCRS.

O indivíduo é identificado como líder da organização criminosa Vale dos Sinos. Ele seria um dos principais líderes dessa organização criminosa nas regiões do Vale do Paranhana e da Serra Gaúcha, atuando na distribuição de drogas, homicídios e extorsões.

A vida criminosa do indivíduo iniciou-se em 2011 e desde então acumula 12 (doze) acusações, sendo a maior parte delas referentes a crimes de considerável gravidade, como tráfico de drogas (2x), extorsão (6x), homicídio (2x). , recepção e roubo com morte.

+ There are no comments

Add yours