O projeto Nova Ferroeste passa a fazer parte do RS, que beneficiará o Alto Uruguai – Rádio Aratiba 107,9 FM de Aratiba – RS

Na última quinta-feira (08), foi realizado em Nonoai o Simpósio de Logística e Integração do Rio Grande do Sul, Nova Ferroeste. O objetivo do encontro foi discutir e promover a importância estratégica de conectar diretamente as cadeias produtivas com o menor custo logístico.

A programação incluiu painel expositivo sobre a Nova Ferroeste e a assinatura do Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA).

O prefeito de Getúlio Vargas, Maurício Soligo, afirmou que a assinatura deste contrato de estudo de viabilidade beneficiará futuramente vários municípios do Alto Uruguai: “será mais uma conquista para a nossa região. Essa ferrovia ligará a região Centro-Oeste, com os portos do Paraná e do Rio Grande do Sul, facilitando o escoamento de carnes e a chegada e saída de milho e soja. E terá um grande impacto na economia ao manter o emprego e a renda aqui no Alto Uruguai”, disse Soligo.

O evento contou com o apoio da Associação Comercial, Cultural, Industrial, de Serviços e Agropecuária de Nonoai (ACISA), Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Pro- Movimento Ferroviário e Prefeitura Municipal de Nonoai.

Projeto Nova Ferroeste

A Nova Ferroeste é uma iniciativa do governo do Paraná para interligar por ferrovia os estados de Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Também chamada de Corredor Ocidental de Exportação, a malha ferroviária ligará Maracaju, no Mato Grosso do Sul, ao porto de Paranaguá. Em Cascavel haverá ligação com duas filiais: Chapecó, em Santa Catarina e Foz do Iguaçu, na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. Com extensão de 1.567 km, as novas rotas passarão por 66 municípios dos três estados.

A Nova Ferroeste faz parte do Programa de Aceleração do Novo Crescimento (CAP) do governo federal por ser considerada um projeto essencial para o desenvolvimento econômico do Brasil. O projeto também está na carteira de investimentos do Programa de Investimentos em Parcerias (PPI) do Ministério da Habitação Civil.

+ There are no comments

Add yours