O litoral norte do Rio Grande do Sul tem todos os lugares certos para nadar neste carnaval

Estimated read time 3 min read

De

Editorial da Rádio Pampa

| 10 de fevereiro de 2024

O nono boletim da temporada 2023/2024 do projeto Balneabilidade, divulgado nesta sexta-feira (9) pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), traz boas notícias para quem vai passar o fim de semana de Carnaval no litoral norte do Rio Grande do Sul. Sul: a água é própria para banho em todos os pontos monitorados. Considerando as demais regiões do estado, são 84 aptas e 7 não aptas:

Barra do Ribeiro – Praia Recanto das Mulatas – Lago Guaíba
Candelária – Carlos Large Balneário – Rio Pardo
Dom Pedrito – Praia Passo Real – Rio Santa Maria
Bolas – Valverde – Trapiche
Pelotas – Valverde – Av. Senador Joaquim A. de Assunção
Santa Vitória do Palmar – Barra do Chuí
Santa Vitória do Palmar – Praia do Porto – Lagoa Mirim

Os locais em estado inadequado são os mesmos do boletim anterior, com exceção da Praia da Cal, em Torres, que saiu da lista esta semana.

Recomendações
Entre na água apenas em local adequado para banho.
Evite nadar nas primeiras 24 horas após chuva forte, na foz de córregos ou rios que deságuam nas praias, pois a água pode estar contaminada por esgoto doméstico.
Não nade em locais com concentração de algas, pois podem conter toxinas prejudiciais à saúde.

A recomendação é que os banhistas evitem locais e ambientes inadequados, principalmente próximos às águas que chegam às praias por meio de tubulações, córregos ou rios. O alerta diz respeito principalmente a crianças, idosos e pessoas com defesas imunológicas baixas. Os sintomas mais comuns após nadar em áreas contaminadas são diarreia, dores abdominais e náuseas.

Divulgação
O monitoramento da qualidade da água é feito semanalmente e os boletins são divulgados sempre às sextas-feiras. Os avisos relativos aos locais adequados ou inadequados para banho também devem ser claramente afixados em placas informativas afixadas nos pontos de captação de água. A instalação de sinalização e a atualização dos resultados da semana (corretos ou incorretos) são da responsabilidade dos municípios, por se tratar de uma questão de saúde pública.

Classificação
Para identificar se as condições balneares num determinado local são adequadas, são analisados ​​dois indicadores:

Escherichia coli, também conhecida como E.coli, bactéria cuja presença em abundância na água indica contaminação por fezes;

Cianobactérias, ou algas azuis, que podem ocorrer em qualquer fonte de água superficial.

Os parâmetros utilizados são os previstos nas resoluções Conama 274/2000 e 357/2005. As cianobactérias são analisadas apenas nas localidades de Osório (Lagoa Peixoto), Pelotas e Tapes.

O resultado está sujeito a cinco semanas de monitoramento. Se, nesse período, duas ou mais amostras do conjunto apresentarem resultado superior a 800 para E.coli ou, ainda, se a amostra mais recente das cinco avaliadas tiver resultado superior a 2.000 para E.coli, o ponto será ser premiado. ser classificado como inadequado. O mesmo acontece se a contagem de cianobactérias ultrapassar 50 mil células.

+ There are no comments

Add yours