Fundos imobiliários negociam shopping centers no RS; Ifix busca força para atingir o máximo histórico: Money Times

Estimated read time 3 min read

Black Friday 2023, descontos
Índice de fundos imobiliários sobe e tenta renovar máximo histórico; FIIs de shopping compram e vendem no Sul (Imagem: Preis_King/Pixabay)

Após a inversão de tendência ocorrida ontem no fechamento do pregão, o índice fundos imobiliários (Eu reparo) está sendo negociado em seus maiores níveis de negociação nesta sexta-feira (09).

Desta forma, ele busca espaço para respirar para se renovar máximos históricos no movimento intradiário. Na véspera o Ifix havia atingido 3.346 pontos, o maior nível desde sua criação em 2010.

Por volta das 12h45 (horário de Brasília), o índice subia 0,18%, aos 3.345 pontos. Com esse desempenho, estamos no caminho certo para encerrar mais uma semana com valorização.

Entre mais de 100 FII listado, o BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11) volta a trazer ganhos, 2% atualmente acima.

Após despencar quase 20% em janeiro, o BTRA11 tenta se recuperar e deve ser o destaque da semana, com ganhos de 15%.

Por outro lado, o Hotel Maxinvest (HTML11) registou a maior descida (-1,3%). Destacado esta semana ao lado do BTG Terras Agrícolas, o fundo imobiliário deverá encerrar o período com a maior queda. Caiu 12,5% até agora.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO


Fundos imobiliários de shopping fazem negócios de quase R$ 30 milhões

Os fundos imobiliários de centros comerciais eles não param de fazer negócios.

Desta vez, o Compras no Brasil (HGBS11) vendeu participação de 10,62% no Iguatemi Fashion Outlet Novo Hamburgo, em Rio Grande do Sulpor R$ 27,6 milhões (leia o comunicado Aqui).

O fundo foi quem comprou Capitânia Shopping (CPSH11), que já pagou a primeira parcela de R$ 17 milhões.

Até fevereiro de 2025, o CPSH11 pagará ao HGBS11 duas parcelas, de R$ 5,2 milhões cada, corrigidas pela inflação (IPCA).

O cap rate da operação foi de 7,3% e gerou ao Hedge Brasil Shopping um lucro de R$ 1,51 por compartilhamento. Apesar da venda, a HGBS11 continua com 38,37% de participação no imóvel.

Os FIIs acreditam que o acordo deverá ser aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cai) até o final de março.

*As cotações citadas são do site Investing.com

jornalista

Jornalista mineiro com experiência em TV, rádio, agências de notícias e sites cobrindo mercado financeiro, negócios, agroalimentar e entretenimento. Antes do Money Times, trabalhou no Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.

[email protected]

Jornalista mineiro com experiência em TV, rádio, agências de notícias e sites cobrindo mercado financeiro, negócios, agroalimentar e entretenimento. Antes do Money Times, trabalhou no Valor Econômico, Agência CMA, Canal Rural, RIT TV e outros.

+ There are no comments

Add yours