Fortes chuvas voltarão ao Rio Grande do Sul apenas na próxima semana, mas ainda de forma irregular

A maioria dos municípios gaúchos vem de uma sequência de 15 dias com acúmulo máximo de 30 milímetros e altas temperaturas

O Rio Grande do Sul deve voltar a registrar chuvas com volumes superiores a 40 milímetros nas 24 horas a partir da próxima segunda-feira (12), conforme mostra a previsão de chuvas acumuladas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Porém, essa previsão não abrange todo o estado e está concentrada nas regiões Sudeste e Sudoeste do Rio Grande do Sul.

Segundo previsões divulgadas pela Metsul, em todo o Sul do Brasil “a precipitação será irregular e escassa” nos próximos dez dias, mas o valor acumulado será maior do que no mesmo período anterior, já que os efeitos da bolha de calor foram na região. No Rio Grande do Sul, segundo Metsul, apesar da melhora em alguns pontos do estado, os próximos dez dias serão “locais com baixo índice pluviométrico”.

Portanto, até o dia 16, Rui Grande do Sul terá volumes acima de 50 milímetros, principalmente nas regiões Sudeste, Sudoeste e Porto Alegre. O Centro-Oeste e o Centro-Leste terão níveis entre 35 e 50 milímetros, enquanto outras localidades, em geral, receberão entre 20 e 30 milímetros, conforme aponta Metsul.

Chuvas acumuladas entre 6 e 16 de fevereiro. Fonte: Metsul

Nos últimos 15 dias, o Rio Grande do Sul foi um dos estados que mais sofreu com as baixas chuvas, como mostram informações do Inmet. Apenas municípios das regiões Nordeste e Noroeste do RS, divisas com Santa Catarina, tiveram níveis acima de 40 milímetros. Na maior parte do estado, a precipitação não ultrapassou os 30 milímetros, com áreas que não chegaram nem aos 10 milímetros.

Chuva acumulada nos últimos 15 dias. Fonte: Inmet

O produtor Daniel Rost, do município de 3 de Maio, localizado no noroeste do Rio Grande do Sul, próximo à Argentina, deu detalhes sobre o andamento da colheita da soja em sua propriedade, em vídeo enviado ao programa Tempo & Dinheiro Segunda-Feira (05). Segundo o relatório, as plantas tinham grande potencial, mas o forte calor começou a abortar as flores e os frutos. A região já estava há 19 dias sem chuvas fortes. “Se chover, a colheita ainda será razoável. Se não chover, as perdas vão aumentar”, disse o agricultor.

Previsões da Administração Oceanográfica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA) indicam melhora na precipitação no sul do Brasil a partir da primeira quinzena de fevereiro. Entre os dias 15 e 23 prevê-se que chova mais de 30 milímetros em toda a região, com volumes superiores a 100 milímetros em 7 dias em algumas zonas. Porém, ainda haverá municípios, especialmente no Rio Grande do Sul, com níveis mais baixos.

Chuva acumulada entre 15 e 23 de fevereiro. Fonte: NOAA

A região Norte do Centro-Oeste e Matopiba devem sofrer fortes chuvas nos próximos dias

Até o próximo domingo (11), a previsão é que no oeste da Bahia, no sul do Tocantins, no norte de Goiás e no leste de Mato Grosso haja chuvas superiores a 50 milímetros nas 24 horas acumuladas, ultrapassando 70 milímetros em algumas áreas, atingindo, de forma mais isolada, volumes acima de 100 milímetros neste período, principalmente no final de semana no leste de Mato Grosso.

Nessas localidades, a NOAA espera acúmulos entre 70 e 150 milímetros até o dia 15. A segunda quinzena de fevereiro deverá ter menos chuvas para o centro-oeste e grande parte do Matopiba, com níveis entre 40 e, no máximo, 90 milímetros. .

Chuva acumulada entre 7 e 15 de fevereiro. Fonte: NOAA

+ There are no comments

Add yours