Primeira epidemia de gripe aviária no RS é registrada em Rio Pardo

A Secretaria de Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi), confirmou, neste domingo (11), a detecção de um surto de gripe aviária de alta patogenicidade (H5N1) em duas aves silvestres localizadas em uma represa, no município do Rio Marron. O vírus foi identificado na espécie caraúna (Plegadis chihi, “maçarico”). A notificação não afeta o estado sanitário do Estado e do país, nem afeta o comércio de produtos avícolas. Além disso, não há risco no consumo de carne e ovos, pois a doença não é transmitida através do consumo.

LEIA TAMBÉM: Mortes violentas marcam fim de semana de Carnaval na região

O Serviço Veterinário Oficial (SVO-RS) respondeu à notificação e a amostra foi enviada no dia 8 de fevereiro ao Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Campinas (LFDA-SP), unidade de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (WHOSA). Esta é a sexta epidemia de gripe aviária no Rio Grande do Sul, registrada entre aves silvestres e mamíferos aquáticos (leões marinhos e leões marinhos).

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância e Defesa da Saúde Animal (DDA), Rosane Collares, foi realizada reunião técnica com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e a Superintendência de Agricultura e Pecuária do Estado do RS (SFA/RS ) aconteceu neste domingo (11/02), para nivelar as informações e definir a estratégia de atuação a partir de hoje.

VEJA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Equipes da Secretaria de Agricultura farão vigilância ativa, monitorando inicialmente um raio de cinco quilômetros do foco, a fim de prevenir possível propagação da doença e orientar os agricultores a manterem os cuidados de biossegurança em suas propriedades, evitando principalmente a circulação de aves e, na medida do possível, evitando ambientes de coexistência entre aves selvagens e domésticas”, sublinha Rosane.

Notificação de caso

A gripe aviária, também conhecida como gripe aviária, é uma doença viral altamente contagiosa que afeta principalmente aves, mas também pode infectar mamíferos, cães, gatos, outros animais e humanos.

Todas as suspeitas de gripe aviária, que incluam sintomas respiratórios, neurológicos ou mortalidade alta e súbita em animais, devem ser comunicadas imediatamente à Seapi através da Inspetoria de Defesa Agropecuária do município, Whatsapp (51) 98445-2033 ou e-mail notify@ Agriculture.rs.gov. Irmão

Recomendações para produtores e agricultores de aves de subsistência:

  • Reforço das medidas preventivas nos estabelecimentos avícolas.
  • Verifique telas, gaiolas, portões e cumes do galpão.
  • Proteja fontes, tanques de água e silos de alimentação do contato com aves caipiras.
  • Desinfeção de veículos de entrada e saída (atenção à diluição correta, conforme recomendado no folheto informativo).
  • Troque de roupa e calçado para entrar na unidade de produção.
  • Não permitir a entrada de pessoas externas ao processo produtivo nas fazendas.
  • Granjas avícolas com acesso a piquetes ou quintais: recomenda-se que os animais sejam fechados em estábulos ou galinheiros e que os bebedouros e comedouros sejam protegidos para evitar contato com aves caipiras.
  • Notificar imediatamente a Inspecção de Defesa Agrária (IDA) em caso de mortalidade elevada (maior ou igual a 10% em 72 horas) ou identificação de aves com sinais respiratórios, neurológicos ou digestivos.

Orientações para a população

  • Não manuseie nem recolha aves mortas ou moribundas.
  • Adquira aves somente de criadores devidamente autorizados.
  • Informar imediatamente o Serviço Veterinário Oficial da presença de aves com sintomas respiratórios, neurológicos, digestivos ou com elevada mortalidade, mesmo em aves silvestres.

+ There are no comments

Add yours