PORTAL FARRAPO – Notícias – Rio Grande do Sul

Pela segunda semana consecutiva, o Litoral Norte gaúcho teve locais impróprios para banho. A informação foi divulgada no sexto boletim do projeto Balneabilidade temporada 2023/2024, divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) nesta sexta-feira (19). Dos 87 pontos analisados ​​no Estado, 72 estavam em condições adequadas e 15 em condições inadequadas, sendo cinco em praias da região, dois a mais que o registrado no boletim anterior.

Os pontos de Barra do Ribeiro, Cerrito, Pedro Osório e Santa Maria ficam para trás na lista de outliers desta semana.

Recomenda-se que os nadadores evitem mergulhar em locais inadequados e em seu entorno, principalmente próximos a águas que chegam à costa por meio de boias, córregos ou rios. Este aviso aplica-se especialmente a crianças, idosos e pessoas com sistema imunológico baixo. Os principais sintomas após mergulhar em área contaminada são diarreia, dor de estômago e náusea.

Locais com condições inadequadas para banho

Candelária: Grande Balneário Carlos – Rio Pardo
Dom Pedrito: Praia Passo Real – Rio Santa Maria
Imagem: Santa Terezinha – Rua Farroupilha
Imagem: Mariluz – Av. Mariluz
Bola: Valverde-Trapiche
Pelotas: Valverde – Av. Senador Joaquim A. de Assunção
Pelotas: Santo Antônio – Rua Bagé
Pelotas: Balneário dos Prazeres
Pelotas: Santo Antônio – Av. Rio Grande do Sul
Pelotas: Santo Antônio – Restaurante
Santa Vitória do Palmar: Barra do Chuí
Santa Vitória do Palmar: Balneário do Porto – Lagoa Mirim
Torres: Praia da Cal – Av. Independência
Tramandaí: Jardim Atlântico – Rua das Alamandas
Xangri-lá: Rainha Do Mar – Colônia de Férias Banrisul

Devido ao impacto do temporal que atingiu o estado esta semana, não foram divulgados resultados para a Lagoa do Peixoto, em Osório. Em relação aos três pontos de monitoramento em Viamão, os dados serão divulgados na segunda-feira (22). Segundo técnicos da Fepam, a tendência é de condições específicas nesses quatro pontos.

O monitoramento da qualidade da água é realizado semanalmente, e todas as sextas-feiras é publicado um boletim no site da Fepam, nas redes sociais e no aplicativo Balneabilidade.

Os avisos sobre se a zona balnear é adequada ou não devem também ser claramente indicados nos sinais informativos afixados nos pontos de captação de água. Ressalta-se que a afixação dessas placas e a atualização dos resultados da semana (bons ou não) são de responsabilidade da prefeitura e isso é uma questão de saúde pública.

Classificação

Para identificar se as condições balneares de um local são adequadas, são analisados ​​dois indicadores:

– Escherichia coli (E.coli), bactéria cuja presença abundante na água indica contaminação fecal;
– e cianobactérias, ou algas azuis, que podem ser encontradas em qualquer fonte de água superficial.

As cianobactérias foram analisadas apenas nos balneários de Osório (Lagoa Peixoto), Pelotas e Tapes. Os resultados devem ser monitorados por cinco semanas. Se, nesse período, duas ou mais amostras do conjunto derem resultado superior a 800 para E.coli ou, ainda, se a mais recente das cinco amostras avaliadas der resultado superior a 2.000 para E.coli, então o ponto é classificado como inadequado. O mesmo acontece se o número de cianobactérias ultrapassar 50.000 células.

A coleta e análise de água salgada no Litoral Norte foi realizada pela Fepam. Outros pontos são monitorados com o apoio da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep).

Recomendado para banhistas

Entre na água apenas em locais adequados para nadar.
Evite tomar banho, nas primeiras 24 horas após chuvas fortes, em esgotos ou rios que correm para o litoral, pois a água pode estar contaminada por lixo doméstico.
Não tome banho em locais onde haja muitas algas, pois podem conter toxinas perigosas para a saúde.
Preste atenção especial às crianças, aos idosos e às pessoas com sistema imunológico baixo.

Informações do Jornal O Sul

+ There are no comments

Add yours