O número de locais impróprios para banho no Litoral Norte do Rio Grande do Sul continua crescendo – RDCTV

Estimated read time 4 min read

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O Litoral Norte do Rio Grande do Sul, pela segunda semana consecutiva, apresenta local impróprio para banho. A informação foi divulgada no sexto boletim do projeto Balneabilidade temporada 2023/2024, divulgado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) nesta sexta-feira (19/1). Dos 87 pontos analisados ​​no Estado, 72 estavam em condições adequadas e 15 em condições inadequadas, sendo cinco em praias da região – dois a mais que o registrado no boletim anterior.

Locais com condições inadequadas para banho

  • Candelária: Balneário Carlos Maior – Rio Pardo
  • Dom Pedrito: Praia Passo Real – Rio Santa Maria
  • absorver: Santa Terezinha – Rua Farroupilha
  • absorver: Mariluz – Av. Mariluz
  • Pelotas: Valverde-Trapiche
  • Pelotas: Valverde – Av. Senador Joaquim A. de Assunção
  • Pelotas: Santo Antônio – Rua Bagé
  • Pelotas: Balneário dos Prazeres
  • Pelotas: Santo Antônio – Av. Rio Grande do Sul
  • Pelotas: Santo Antônio – Restaurante
  • Santa Vitória do Palmar: Barra do Chuí
  • Santa Vitória do Palmar: Balneário do Porto – Lagoa Mirim
  • Torres: Praia da Cal – Av. Independência
  • Tramandaí: Jardim Atlântico – Rua das Alamandas
  • Xangri-lá: Rainha Do Mar – Colônia de Férias Banrisul

Devido ao impacto do temporal que atingiu o estado esta semana, não foram divulgados resultados para a Lagoa do Peixoto, em Osório. Em relação aos três pontos de monitoramento em Viamão, os dados serão divulgados na segunda-feira (22/1). Segundo técnicos da Fepam, a tendência é de condições específicas nesses quatro pontos.

Os pontos de Barra do Ribeiro, Cerrito, Pedro Osório e Santa Maria ficam para trás na lista de outliers desta semana.

Recomenda-se que os nadadores evitem mergulhar em locais inadequados e em seu entorno, principalmente próximos a águas que chegam à costa por meio de boias, córregos ou rios. Este aviso aplica-se especialmente a crianças, idosos e pessoas com sistema imunológico baixo. Os principais sintomas após mergulhar em área contaminada são diarreia, dor de estômago e náusea.

Divulgação em parceria com prefeitura

O monitoramento da qualidade da água é feito semanalmente, e todas as sextas-feiras é publicado um boletim no site da Fepam, redes sociais e outros Aplicativo web Mandi.

Os avisos sobre a adequação ou não da zona balnear também devem ser claramente indicados em placas informativas afixadas nos pontos de captação de água. Ressalta-se que a afixação dessas placas e a atualização dos resultados da semana (bons ou não) são de responsabilidade da prefeitura e isso é uma questão de saúde pública.

Classificação

Para identificar se as condições balneares de um local são adequadas, são analisados ​​dois indicadores:

  • Escherichia coli (E.coli), bactéria cuja presença abundante na água indica contaminação fecal;
  • e cianobactérias, ou algas azuis, que podem ser encontradas em qualquer fonte de água superficial.

As cianobactérias foram analisadas apenas nos balneários de Osório (Lagoa Peixoto), Pelotas e Tapes. Os parâmetros utilizados estão definidos nas resoluções Conama 274/2000 e 357/2005.

Os resultados devem ser monitorados por cinco semanas. Se, nesse período, duas ou mais amostras do conjunto derem resultado superior a 800 para E.coli ou, ainda, se a mais recente das cinco amostras avaliadas der resultado superior a 2.000 para E.coli, então o ponto é classificado como inadequado. O mesmo acontece se o número de cianobactérias ultrapassar 50.000 células.

Realização

A coleta e análise de água salgada no Litoral Norte é realizada pela Fepam, por meio da Gerência Regional Litoral Norte da Sema-Fepam (Gerlit) e da Divisão de Laboratórios (Dilab). Este projeto é coordenado pelo Departamento de Qualidade Ambiental (DQA).

Outros pontos são monitorados com apoio da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e do Serviço Autônomo de Saneamento de Pelotas (Sanep).

Recomendado para banhistas

  • Entre na água apenas em locais adequados para nadar.
  • Evite tomar banho, nas primeiras 24 horas após chuvas fortes, em esgotos ou rios que correm para o litoral, pois a água pode estar contaminada por lixo doméstico.
  • Não tome banho em locais onde haja muitas algas, pois podem conter toxinas perigosas para a saúde.
  • Preste atenção especial às crianças, aos idosos e às pessoas com sistema imunológico baixo.

Planilha completa

+ There are no comments

Add yours